Romagem - Livro

ROMAGEM – LIVRO

By 12 de fevereiro de 2020 junho 2nd, 2020 2 Comments

ROMAGEM – Pelo Centro Histórico de Santo Amaro

Prof. Jorge Peralta

ÍCONES E MARCOS HISTÓRICOS

LIVRO 1 – A DESCOBERTA DA CIDADE

O Fenômeno Humano e o Fenômeno Urbano

Palavra de Abertura

Descobertas que Abrem Caminhos

I – CULTURA NA CIDADE

 

Romagem é uma obra de cultura e de história; de busca do saber e da sabedoria. É também uma obra de arte e de entretenimento; uma obra de civismo, de humanismo e de educação.

1 – Este é, intencionalmente, um espaço educativo, que atua por uma cidade melhor e mais saudável, mais solidária e participativa. É um espaço agradável!

Enfim, Romagem é um espaço de vida e de vivência: É um espaço de descobertas permanentes. É uma obra de profunda originalidade, que vai despertando a consciência cidadã.

2 – A cidade é espaço de gente; um espaço complexo; um desafio permanente. É um espaço da diversidade, na unidade, em busca da harmonia, sempre precária. É um espaço de pessoas preocupadas em viver, conviver, trabalhar e criar a sua família, em algum lugar, honestamente, o pão de cada dia e conviver docemente em paz!

Cidade é um espaço cultural, um espaço do exercício da cidadania. Um espaço respeitável. É também um espaço social, um espaço político de arte e de poesia, um espaço de vida, em sua grande diversidade.

É também um espaço de trabalho, um espaço de profissionais, um espaço de contradições, de convergência e de divergência, buscando alguma harmonia e novas sínteses vitais; é um espaço de alegrias, de inquietações e de esperança; é um espaço do bem, onde sempre algum mal atrapalha, exigindo perene vigilância e prevenção.

É um espaço em movimento, um espaço de desenvolvimento, um espaço de prosperidade, com algum retrocesso emperrando as engrenagens…

É um espaço de liberdade, com responsabilidade, onde também o contrário perturba.

Aqui abordamos a cidade, sua arte e seus valores, numa perspectiva cultural que a todos congrega e movimenta.

A apreensão da arte e da vida é sempre pessoal e sempre enriquecedora e desafiante; sempre nos eleva o coração e a mente.

Romagem aborda Santo Amaro, em perspectiva multidisciplinar. Pensamos a história como mestra da vida…

De antemão, sabemos que a cidade tem muitas portas de entrada e muitas portas de saída…

3 – Esta obra, Romagem por Santo Amaro, aborda o fenômeno humano, no fenômeno urbano. Este é o nosso foco.

A cidade e a familia são os espaços onde a vida acontece, dia após dia, sem cessar…

Romagem quer dizer peregrinação, excursão. Falamos da nossa história, observando nossos monumentos culturais…

Ao falar de Santo Amaro, falamos de todos os agrupamentos humanos do mundo, como paradigmas…

Santo Amaro de São Paulo é mais um paradigma da humanidade com muitas especificidades. Acendemos luzes, que podem a todos iluminar.

Adotamos princípios universais, para interpretar a vida na cidade. Lutar , pela construção de um mundo cada vez melhor e mais saudável, é obrigação inquestionável de todas as pessoas, imbuídas do espírito de cidadania, com solidariedade.

Na cidade como obra humana, tudo tem significado, para os humanos. Significado que nem todos conseguem compreender, interpretar, mas podem pressenti-lo.

Romagem é uma obra programática e uma obra de interpretação; é uma obra de história e de cultura humanista.

II – PERSPECTIVAS DA ROMAGEM

4 – Com imensa satisfação, entregamos esta obra ao público ilustrado: aos estudantes e aos profissionais, aos estudiosos; aos que prezam os valores essenciais, que dão suporte e são os pilares da vida, da cidade e da humana dignidade; aos pensadores e líderes genuínos da sociedade.

Oferecemos esta obra a todos quantos buscam melhorias, que a todos beneficiem. Acreditamos que esta obra é útil ao leitor atento.

Ao expor e reiterar as forças universais, que nos motivaram à elaboração desta nova produção sociocultural, temos em vista a construção de uma cidade mais humana.

Adotamos uma perspectiva dinâmica e não estática.

Adiante, alinhamos algumas das forças matriciais que nos motivaram para a elaboração deste trabalho, e que podem impulsar um desenvolvimento mais consistente e duradouro, na direção de um mundo melhor, que todos almejamos…

Observamos a cidade que temos, em função da cidade que queremos.

5 – O cidadão consciente nunca anda na contramão… Sempre segue em frente, sem olhar para trás. É vigilante na busca dos melhores resultados.

Na cidade, todos somos responsáveis… e protagonistas…

No mundo dos humanos sempre haverá convergências e divergências; então precisamos somar e não dividir; harmonizar e não desafinar.

Cada cidade, cada esquina, cada manifestação cultural marca a vida das pessoas de forma própria e diferente, com os valores próprios que articula.

Em terra de gente, a nada somos indiferentes…

Cada monumento é cultura; cada memória é cultura; a mãe com o filho no colo, é cultura; o olhar humano sobre um ipê florido é cultura. A cultura humaniza as pessoas. Precisamos aprender a olhar a cidade, como espaço de vida; como espaço educativo.

Os humanos não são máquinas, não são autômatos: tem razão, sentimento e criatividade.

Cada um precisa agir a serviço próprio, da comunidade e da vida.

Queremos conhecer para melhorar. A cidade é obra de todos…

Então ninguém se omita.

Conhecer a própria cidade, no seu essencial e nos valores humanos, é algo imprescindível, para que não sejamos estrangeiros, na terra onde vivemos…

Também aqui valem os quatros pilares da vida: ver/olhar, refletir, decidir e agir.

O conhecimento, com sabedoria, é a condição da segurança de todas as decisões e ações. Então, não deixemos de cultivar a sabedoria.

O conhecimento da cidade e a perene vigilância exigem a busca da lucidez e ampla visão, na perspectiva do bem comum. Exige clareza, decisão e firmeza de vontade. A frouxidão, a fraqueza vacilante, a debilidade ética e moral, a inconstância e a ignorância são algumas das causas da fraqueza e do desconcerto social geral da nossa civilização… Viver bem não é condição para principiantes.

6 – Consideramos a familia, a vida, a pátria e a fraternidade universal, com a honestidade, como os cinco pilares da humanidade.

Consideramos que o respeito pela vida, pela família e pela pátria e pela humanidade, com honestidade, como obrigação vital, de todo o cidadão e não como eventual favor a alguém. Estes são pressupostos de uma vida digna saudável, essenciais para uma cidade saudável.

Pensamos que este é o legado essencial que toda a pessoa deve deixar à posteridade. Estes são os grandes pressupostos da nossa série: Memorial, onde se enquadra a Romagem. Se a sociedade está enferma, é preciso revitalizá-la e curar-lhe as feridas que a todos incomodam e perturbam.

Não esqueçamos de que os problemas se resolvem, suprimindo-lhes as causas. Tirada a causa, cessa o efeito, assim dizem os sábios.

APRESENTAÇÃO

NOSSA HISTÓRIA, NOSSA GENTE, NOSSA CULTURA

I – O SENTIDO DO MEMORIAL

HISTÓRIAS DA NOSSA HISTÓRIA

A obra, que o leitor tem em mãos, – Romagem, – fala de Santo Amaro, a nossa cidade-bairro. Fala de nossa história, de nossa terra, de nossa gente, de nossa cultura. Fala de nossos valores humanos e sociais, que consideramos como patrimônio inestimável.

Romagem é o vol. 1 do Memorial de Santo Amaro.

1 Contar a história de gente, através de um Memorial é muito mais do que contar história: é desvendar o espírito e alma de um povo. É abrir novos caminhos…

Ficamos então, sabendo que o essencial é invisível aos olhos e inacessível às palavras.

Falar de histórias é falar de cidadania…

Daí o encanto do bom contador de histórias. Este é um desafio que nos faz pensar e crescer!

Esta é uma obra de histórias e de memórias de Santo Amaro. É também uma obra cívica, um arsenal de ideias. É um tesouro a descobrir.

É um amplo Álbum de Fotografias: uma grande exposição de arte e civismo. Por isso a nomeamos como Memorial, que é um nome altissonante e adequado. O núcleo do Memorial/Romagem,  é a revelação do valor e do sentido de alguns dos ícones históricos e cívicos de Santo Amaro – São Paulo.

Queremos estimular as pessoas a assumirem o protagonismo de atuação, por uma cidade melhor e mais saudável; por uma vida melhor.

2 Acreditamos que todas as sociedades precisam ser sempre repensadas, com critérios que respeitem os seus valores vitais e matriciais, os grandes valores éticos da nossa civilização, para não se deixarem cair, em aventuras deletérias e desagregadoras; para não caírem na inação estéril.

Prosperar, com segurança e equidade é atitude essencial, sem trocar pérolas, por promessas e por palavras vazias e oportunistas, como muitos descuidados já fazem.

A Romagem é um arsenal de pérolas cívicas, que fazem a grandeza de nossa terra. As pessoas precisam acreditar na força dos valores matriciais da humanidade, começando por procurar as razões de amar o seu torrão vital.

Santo Amaro/SP é um lugar de muitas histórias; um lugar bonito e acolhedor por natureza. Gostar de Santo Amaro e de seu potencial vem-nos da alma e do coração; retempera o nosso civismo e nos dá mais alegria de viver e conviver.

Conhecer o que é bom, em Santo Amaro, já revela o nosso estado de espírito.

Romagem é uma peregrinação, por Santo Amaro de todos os tempos; pela história de nossa gente, de nossos antepassados.

A história, leal à vida de nossa gente, faz a vida melhor e mais saudável.

3 Romagem – Memória fala de Santo Amaro, nascido juntamente com São Paulo, pouco depois, como parte do mesmo processo civilizatório, como veremos adiante.

Fala de Santo Amaro de todos os tempos.

Santo Amaro nasceu e desenvolveu-se, agregado a São Paulo, desenvolvendo identidade própria, com um povo rico e criativo, amante da vida…

Santo Amaro era distante de São Paulo, um dia de viagem, por sendas e perigos.

Santo Amaro foi município, de 1832 a 1935.

Depois de 103 anos de autonomia, Santo Amaro foi anexado a São Paulo, por interesses e conveniências políticas.

A anexação, de alguma forma, beneficiou, além de São Paulo, também o Brasil… Beneficiou também Santo Amaro, mas com alguns senões, por falta de compensações.

Manteve identidade marcante e respeitável, importante para a prosperidade geral. Na realidade, Santo Amaro e São Paulo tem muito em comum; mais semelhanças do que diferenças.

Somos todos irmãos; temos pais comuns; compartilhamos do mesmo chão e do mesmo ideário.

Nossas histórias se cruzam e seguem idêntico percurso.

Assim é a vida… dos humanos, uns mais outros menos.

 

 

 

 

2 Comments

Leave a Reply