JÚLIO GUERRA, O MESTRE
– Escultor e Pintor –

Júlio Guerra nasceu em Santo Amaro (20/01/1912).
Morreu também em Santo Amaro (21/01/2001), com 89 anos.
Produziu uma obra de arte, que o imortaliza, entre os grandes artistas de Santo Amaro, de São Paulo e do Brasil.
Algumas de suas obras perpetuam sua obra para a eternidade, para além do tempo e do espaço.
Júlio Guerra foi um grande cultor de sua terra e de sua gente.
Desenvolveu temas monumentais que realçam a identidade nacional.
Desenvolveu imagens telúricas exaltando sua gente e seus heróis.
Trabalhou também temas gerais. Fez uma obra universal.
Foi um grande brasileiro, um grande Santamarense.
É um imortal, por sua suntuosa arte.

Sua obra distribui-se em três temáticas básicas:
1- Grandes Ícones Nacionais: os Bandeirantes, a Mãe Preta; Iguatinga.
2- Ícones Religiosos: São Paulo; Jesus e Maria; S. Pedro; Santana; Madalena e Jesus; Imaculada, etc.
3- Festas, Tradições, Paisagens e Tipos Populares.
4- Históricos: Painéis; Pe. Belchior Pontes.
Predominou o aspecto telúrico, em perspectiva universalista.

1. Estátua do Borba Gato.
Exaltou a monumental epopeia dos Bandeirantes, descobridores e povoadores dos nossos sertões, alargando o seu território.
Neste tema destaca-se a gigantesca estátua de Borba Gato, (exposta na Praça Augusto Tortorelo de Araújo).
Borba Gato foi grande sertanista e Bandeirante, companheiro desta grande epopeia nacional, ao lado de outros três gigantes de nossa História: Raposo Tavares, Fernão Dias Pais, o Anhanguera, etc.

 

A estátua de Borba Gato, tem 10 metros de altura, mais 3 metros de pedestal.
Por suas dimensões colossais, em certo sentido, equipara-se a outro colosso, de Victor Brecheret: O Monumento às Bandeiras, exposto no Parque do Ibirapuera.
A obra de Brecheret, no entanto, ocupa um espaço muito maior. É o maior monumento de São Paulo.
O nosso Borba Gato poderia ser considerado “o Colosso de Santo Amaro”.
As duas obras gigantescas são dignas da epopeia dos Bandeirantes, que marcaram, para sempre, a grandeza épica, na História do Brasil, juntando a outros feitos épicos.
Os que desdenham da estátua de Borba Gato, de Júlio Guerra, apenas revelam seu espírito desinformado, inculto, medíocre, sectário e persecutório, com algo de inquisitorial extemporâneo.
O Borba Gato é a grandiosa marca de Santo Amaro.
O Borba Gato é o guardião e inspirador da Cidade-Bairro de Santo Amaro.

 

2. A Mãe Preta.
A Mãe Preta, é outra obra emblemática, magnífica e eterna de Júlio Guerra.
Foi feita para as comemorações do Quarto Centenário de São Paulo, 1954.
Esta estátua simboliza a integração de raças, de um país multirracial, miscigenado e pacífico. É uma estátua bela e sem complexos. Tem grandeza eterna.