Poeta Santamarense

J.Peralta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Luz da Fé

 

A claridade estranha

– Restea de luz da Lua –

Que, docemente, banha

Toda minha alma, é tua.

 

É tua… Eu sinto o effeito.

É tua, e vem do teu

Espirito perfeito

Em procura do meu.

 

Do meu, que soffre e sente,

Dentro da humana lida,

A tristeza consciente

Dos enganos da Vida.

 

Bem haja, pois, a graça

Que, de mercê, me vem

De ti, que és luz que traça

O caminho do Bem.

 

Poema de Araújo Filho.

 

[Publicado em 22 de Setembro de 1929, no “Santo Amaro Jornal”, Ano 1, nº 31].